Como eu me (re)descobri no cabelo curto

“Eu morro de vontade de cortar, mas não tenho coragem”: foi a frase que mais escutei no ano passado, depois de ter cortado o cabelo. Ficar com o cabelo curto me fez perceber como muitas vezes a gente tem medo de mudar, e como um simples corte pode alterar a imagem que o mundo tem sobre a gente, e principalmente, a imagem que nós temos sobre nós mesmas. Mas é só um cabelo – e também não é.

bel-serelle-como-me-descobri-no-cabelo-curto-6
2012 e 2017

Eu passei minha adolescência inteira cultivando um cabelo longo. E aos 18 anos eu posso dizer que tinha o cabelo dos meus sonhos: gigante, loiro, ultra claro. E lembro de ser a coisa que eu mais gostava em mim, fisicamente. Cerca de 2 anos depois, meu cabelo passou por uma fase intensa de quebra e descobri que era inviável manter os fios claros desse jeito.

E aí passei a fazer menos luzes, manter a raiz natural, e deixar o cabelo mais mel – com o mesmo comprimento. Mas sabe quando você não se sente você mesma? Aquela cor não era eu, aquele comprimento não era eu. Mas como o cabelo loiro e longo faz parte daquele conhecido esteriótipo de beleza que a gente bem conhece, eu relutava muito em passar a tesoura. Porque todo mundo achava lindo, porque eu não deveria achar?

E não sei vocês: mas eu tenho ímpetos de mudanças perto de momentos que são significativos pra mim, não sei explicar a razão, mas acontece sempre. E resolvi cortar o cabelo um dia antes de apresentar meu TCC. Depois de uns meses cortei de novo, beeem curtinho, um dia antes do baile de formatura de uma das minhas melhores amigas.

bel-serelle-como-me-descobri-no-cabelo-curto-7
2018 e 2019

Depois que comecei a cortar não parei mais, porque eu nunca me senti tão eu. Eu mantinha um cabelo longo, porque era o que eu pensava que as pessoas achavam bonito, e quando eu penso quanto tempo demorei para criar coragem para cortar, eu até acho engraçado.

Acho que com o passar dos anos, a gente só quer aquilo que faça parte de quem a gente é, em todos os aspectos. Nas amizades, no guarda-roupas e até na nossa cabeça. A Bel de 24 anos tem menos amigos, menos roupas e menos cabelos que a Bel de 18 anos – porque a Bel de 24 anos só mantem aquilo que faz sentido pra ela.

bel-serelle-como-me-descobri-no-cabelo-curto-5
Eu e meu cabelo curto ❤ Clique da musa @mperesfotografia

Agora quero saber de você: como seu cabelo representa quem você é? Deixe nos comentários o que você pensa a respeito!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s